4 de novembro de 2011

Fiasco na educação

Por Darci Bergmann

Relatório deste ano 2011, divulgado pela ONU, mostra que o Brasil ocupa o 113º lugar em qualidade de ensino, dentre os países pesquisados para formação do IDH – Índice de Desenvolvimento Humano - que leva em conta também outros três indicadores.
Ouvi um comentário num veículo de comunicação de que esse fato é um “fiasco na educação”. E ainda, dá-se mais ênfase ao ensino superior sem qualidade onde algumas áreas estão saturadas enquanto faltam profissionais em outras áreas específicas, principalmente no campo das engenharias.
O ensino fundamental e o ensino médio estariam mergulhados num mar de ineficiência, começando pela falta de recursos e remuneração adequada dos educadores.
Concordo em grande parte com as colocações do comentarista. Faltam recursos  para a implantação de boas escolas, não há dúvida. Mas fundamentalmente falta remuneração adequada a quem escolheu educar. Conheço educadores que cursaram um curso superior e recebem no final do mês menos que um catador de lixo. Não que o catador não mereça uma boa remuneração ao recolher matérias primas para a reciclagem. Vejamos bem. Um educador precisa de ferramentas que vão muito além daquelas necessárias para o catador de lixo. Ele tem que se apresentar bem em sala de aula, precisa de ferramentas como computador, internet, livros e tal para se manter atualizado. Até uma sobra extra para uma viagem durante as férias para repor energias e quem sabe ver outras experiências dentro da sua área. No país do futebol, do carnaval e da politicagem é fácil perceber que a educação não é mesmo prioridade. E a distorção é perceptível até em pequenas cidades, onde existem prefeitos e vereadores ganhando muito mais que os profissionais da educação. Muitos municípios vão inchar as câmaras aumentando o número de vereadores. Recursos tirados dos cofres públicos. Enquanto tem educadoras se esforçando para ensinar os filhos dos outros, com um mísero salário, tem vereador bem remunerado para mandar recado e cartões de felicitação de aniversário e de festas de fim de ano. Coisas desse Brasil, onde o povo não pode mesmo aprender certas coisas. Entre elas aprender a votar.


Um comentário:

Jarbas Felicio Cardoso disse...

Precisamos fazer muito pela educação desse País! Mas estou seguro que as coisas já começaram a mudar!!! São muitas as políticas, ações e programas que já estão mudando a realidade do Brasil. E agora também em nosso Estado. Como exemplo de tais políticas cito os de nossa Região como foi a chegada da UFFS, da Unipampa, dos vários campus dos IF'S, que aos poucos estão formando e colocando no mundo trabalho novos profissionais. Na educação básica a implantação do Programa Mais Educação que logo será escola de tempo integral permanente, onde municípios e estados irão ganhar recurso para tal fim, dos cursos técnicos do PRONATEC, das reformas integrais que irão começar nos prédios das escolas estaduais a partir de 2012, da reestruturação do Ensino Médio... a nova proposta de alfabetização das series iniciais... e de uma nova política de valorização dos profissionais em educação. Alerto para as discussões do novo PNE que estão ocorrendo, onde o forte da discussão é aplicar 10% do PIB para Educação.