25 de outubro de 2012

Cobra-cipó: Venenosa, mas nem tanto

A foto acima mostra um cobra-cipó sobre uma pequena árvore, a
uma altura de 2,50m. Tamanho aproximado de 1,30m e aparentando
ter-se alimentado de algum pássaro. Fotografada em 07/11/2012

Este exemplar de cobra-cipó tinha em torno de 1m de comprimento.
A foto foi feita a uma distância de 0,40m e o animal ficou estático
por alguns instantes. Coisa rara, pois sempre procura fugir rapidamente.
Fotos: Darci Bergmann


Por Darci Bergmann

   A cobra-cipó, também conhecida como cobra-verde-listrada, nome científico Philodryas olfersii, pertence à família Colubridae. Na região Sul do Brasil, ela é encontrada com mais freqüencia nos meses quentes do ano, ou seja, a partir do início da primavera até o começo do outono.
   Existe muita polêmica sobre essa linda serpente. Há quem duvide de que ela seja venenosa, pois as características do seu corpo não condizem com o padrão das serpentes venenosas: cabeça triangular, cauda que se afina bruscamente, presas dianteiras perfuradas, etc. Ademais, ela foge rapidamente ante a presença de pessoas.No entanto já tem ocorrido acidentes com essa espécie. Ela não pica, mas morde. O seu veneno não é dos mais nocivos e as reações variam de uma pessoa para outra. Estudos comprovaram que a cobra-cipó é realmente venenosa.
   Ela se alimenta de aves, pererecas, pequenas lagartixas, pequenos roedores. Anda pelo chão e tem destreza na locomoção por arbustos, árvores e cercas vivas. Pessoalmente nunca vi, mas tenho impressão que ela também se alimenta de ovos de pássaros e filhotes destes nos ninhos. Tenho constatado o sumiço de ovos e filhotes de várias espécies de pássaros na primavera, justamente quando a presença de cobra-cipó é maior no ambiente da minha chácara. Mas isto faz parte do equilíbrio natural entre as espécies. Outros predadores também agem nesses casos.
   Já matei serpentes venenosas.  Hoje vejo que até elas tem um papel importante, pois se alimentam também de roedores que precisam de controle da população. Simplesmente, o melhor comportamento é não interferir na natureza.

2 comentários:

Jacqueline Françoise Baudet disse...

E isto mesmo ... Somos nos que invadimos o territorio dos animais.. Tambem achou que todos eles estão aqui para o bem..
Jacqueline

Unknown disse...

Olá. vi hoje isso. e tenho uma opinião: acredito que não haja tantas cobras no seu sítio que causem uma redução. o bom dos répteis na natureza é que não ficam "comendo direto" como os mamíferos. uma refeição e lá se vai um tempão até o próximo lanche. talvez a queda no número de filhotes e ovos se dê pela quantidade de predadores mamíferos (gambás e saguis, principalmente).